Imprimir

Comunicação - Notícias

Morreu o filósofo Arturo Andrés Roig


Morreu o filósofo Arturo Andrés Roig

Arturo Andrés Roig, grande historiador e filósofo latinoamericano, nascido em Mendoza, Argentina, há 89 anos, morreu na manhã da última segunda-feira, 30 de abril. Foi cremado no dia 1º de maio.

Roig foi professor emérito da Faculdade de Filosofia e Letras. Esteve vinculado à Universidad Nacional de Cuyo desde 1949, onde fez sua graduação, foi professor de Filosofia, secretário geral e secretário acadêmico. Seu trabalho acadêmico o converteu em mestre e guia de várias gerações de intelectuais de Mendoza, da Argentina e da América Latina. Obrigado a exilar-se durante a última ditadura militar, residiu durante vários anos no Equador, onde foi diretor fundador do Instituto de Estudios Latinoamericanos da Universidad Católica e pesquisador da Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales (FLACSO). Quando retornou à Argentina, foi diretor geral do Centro Regional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CRICYT) e diretor fundador do Instituto de Ciencias Humanas, Sociales y Ambientales (INCIHUSA).

A transcendência de Roig – sem dúvida o mais conspícuo intelectual mendoncino contemporâneo – deve-se a suas contribuições originais tanto à História das Ideias como à Filosofia da Libertação. Nesta última perspectiva, sobressai-se uma de suas concepções medulares segundo a qual assim como no século XIX o nó central do pensamento foi “a liberdade”, para os latino-americanos da atualidade esse nó central é “a libertação”. Aí está a razão de seu forte compromisso com os processos políticos e sociais da região.

Autor de cerca de trinta livros, sua última produção foi “El pensamiento latinoamericano y su aventura” (2008) e estava em processo de elaboração de um chamativo título: ”Cabalgando sobre Rocinante”.

Fonte: Universidad de Cuyo – www.uncu.edu.ar/novedades/index/murio-el-pensador-arturo-andres-roig. Tradução Paulo César Carbonari. Publicada em 30/04/2012.


Newsletter